Pressão latino-americana sobre Venezuela pode desencadear intervenção militar dos EUA


A crescente pressão de países da América Latina, sobretudo do Mercosul, sobre o regime do presidente Nicolás Maduro pode levar os Estados Unidos a porem em prática um plano de intervenção militar no pais. A possibilidade foi admitida por Denilde Holzhacker, professora da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM).Em entrevista exclusiva à Sputnik Brasil, a especialista em assuntos das Américas, diz que este é um risco real, embora acredite que ainda há margem para que outros tipos de pressão possam excluir agora tal risco. Para Denilde, os Estados Unidos têm atualmente múltiplos focos internacionais de tensão, como o agravamento da crise com a Coreia do Norte, um desentendimento crescente com a China, em virtude da Península Coreana, e mesmo com a decisão de aumentar o número de tropas no Afeganistão. Um segundo front, na  Venezuela, só aumentaria o desequilíbrio na região e o desgaste político de Washington.

Fonte: Pressão latino-americana sobre Venezuela pode desencadear intervenção militar dos EUA – Sputnik Brasil

Comissão do Senado rejeita sugestão de anistia a Jair Bolsonaro 


A CDH (Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa) do Senado rejeitou a sugestão de anistia ao deputado e presidenciável Jair Bolsonaro (PSC-RJ). O pedido também classificava como “perseguição” a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de processá-lo. A sugestão chegou à comissão após receber apoio de mais de 20 mil pessoas.

Fonte: Comissão do Senado rejeita sugestão de anistia a Jair Bolsonaro | Poder360

Joesley Batista ocultou uma série de crimes no BNDES em seu acordo de delação, diz procurador 


O procurador Ivan Marx, do Ministério Público Federal (MPF) em Brasília, estava prestes a determinar a prisão do empresário Joesley Batista, quando apareceu o anjo da guarda Rodrigo Janot e garantiu ao açougueiro um habeas corpus eterno. Marx é o responsável pela Operação Bullish da Polícia Federal que investiga crimes cometidos pelo grupo no BNDES.

Fonte: Joesley Batista ocultou uma série de crimes no BNDES em seu acordo de delação, diz procurador | Imprensa Viva

Janot se acovardou ou estava blefando quando disse que tinha mais duas flechas para disparar contra Temer?


No auge do espetáculo promovido com o vazamento da delação bananada do açougueiro Joesley Batista da JBS, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, havia declarado que estava preparando mais duas denúncias para apresentar contra o presidente Michel Temer, além daquela que acabou sendo enterrada na Câmara dos Deputados.
A estrela dos jornais da Globo e de seus satélites naquela época chegou a afirmar que “Enquanto houver bambu, vai ter flecha”, adiantando que apresentaria novas denúncias contra o presidente. É fato que a primeira denúncia apresentada por Janot foi totalmente capenga, desprovida de provas robustas. Caso contrário, nenhum parlamentar se arriscaria a votar contra a denúncia diante das câmeras. A Globo interrompeu sua grade de programação para transmitir a votação ao vivo para todo o Brasil e o mundo.

Fonte: Janot se acovardou ou estava blefando quando disse que tinha mais duas flechas para disparar contra Temer? | Imprensa Viva

Venezuela vai regular redes sociais e sancionar ‘crimes de ódio’


A Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela anunciou na terça-feira que vai regular o uso de redes sociais no país para sancionar quem cometer “crimes de ódio”, acusando os partidos opositores de promover a discórdia no país. A presidente do novo órgão, Delcy Rodríguez, afirmou ao anunciar a medida que o povo venezuelano é vítima de uma “guerra psicológica” para levar a Venezuela a um confronto através da promoção do ódio.

Fonte: Folha Política: Venezuela vai regular redes sociais e sancionar ‘crimes de ódio’